Este é simplesmente o meu espaço... onde irei publicar pequenas reflexões sobre diversos temas.. e como é lógico são bem vindas todas as participações...

Quinta-feira, 24 de Novembro de 2011

Vou partilhar a minha experiência matinal num dia de greve geral...

 

Levantei-me às 05.50 para apanhar o comboio das 06.25 Porto - Braga que foi decretado pelo tribunal arbitral como serviço mínimo. Cheguei à estação de S. Bento às 06.18 e qual o meu espanto que estava 5 carros da policia junto da estação e pensei "confusão".. mas não.. à porta da estação estava apenas um piquete de greve com cerca de 10 indivíduos com coletes vermelhos, que garantiam que a estação estivesse completamente fechada impedindo quem quer fosse de entrar... mas onde está a polícia?

 

A incrível e inesperada resposta: a polícia (mais de 20) estavam dentro da estação (que estava fechada ao público)!!

 

Cá fora ia crescendo o numero de utentes que se tinham deslocado, como eu, para a estação de S. Bento de madrugado para poderem ir trabalhar e poderem deslocar de comboio nos horários decretados como serviços mínimos... As pessoas iam chegando e a contestação contra as pessoas que impediam as outras de trabalharem ia crescendo.. De repente um dos grevistas veio tentar explicar porque razão impediam que estação estivesse fechada e porque razão eles achavam que tinham o direito de impedir os outros de gozar do direito ou da obrigação de ir trabalhar... e entre outras frases dizia "porque acho que os serviços mínimos são injusto"... e eu perguntei-lhe: "!diga-me, e se agora, alguém mais exaltado lhe atirasse com um pedra e acertasse na sua cabeça, você fosse para o hospital (a pé porque não há transportes e as ambulâncias também não têm serviços mínimos porque é injusto) chegasse ao hospital (de S. António que até é perto) 30 minutos depois e não tivesse ninguém para o socorrer porque também é injusto haver serviços mínimos e você acabasse por morrer de falta de cuidados médicos, achava justo não haver serviços mínimos? O individuo do sindicato revirou-se os olhos e partiu para a violência física e verbal directa comigo.. mas teve azar... as outras pessoas acabaram por reagir e acabou tudo com o pessoal do sindicato a recuar e a dizer "venham 25 como você que eu aguento".. mas de longe!!! E sabem onde estava a polícia? dentro da estação sem reagir..

 

Fui obrigado a ligar para o 112 a fazer queixa de que tinha sido agredido (ou quase) por um piquete de greve à porta da estação de S. Bento e que a polícia se encontrava a menos de 20cm mas por trás da porta da estação e que nada tinha feito.. minutos depois saíram (os polícias) de dentro da estação e ligaram-me da PSP a dizer que os colegas já se encontravam no exterior... Acabei por me deslocar junto deles e explicar a minha indignação.. mas não adiantou nada.. acabei por vir para Braga de carro... Isto é simplesmente inaceitável que meia dúzia de funcionários dos sindicatos, que neste dia até ganham horas extraordinárias, impeçam que uma ordem do tribunal seja respeitada e que a polícia nada faça para repor a ordem?

 

Em que raio de sociedade vivemos? Se uns tem e querem que seja respeitado o direito à greves, essas mesmas pessoas têm de aceitar que outros tenham e queiram que seja respeitado o direito à não greve...

publicado por cmpphp às 08:45

Terça-feira, 08 de Novembro de 2011

Há algum tempo escrevi aqui um exto sobre as greves na CP... recebi muitos mails de apoio e muitos outros insultuosos.. recebi mails com ameças e ataques ao blog que o colocaram off-line!!

 

Mas a minha opinião é a mesma!! Estou farto de aturar grevistas oportunistas que ganham muito e muito bem, que fazem pouco e muito pouco pelos clientes e pela CP e que se aproveitam para chatagear os portugueses que precisam da CP para se deslocar, para subreviver e viver, com greves mesquinhas vinda de pessoas mesquinhas e oportunistas!!

 

O semanário "SOL" publica uma reportagem sobre esta gente oportunista com os seus "direitos" e "regalias" que não são mais do que um atentado ao pudor, à inteligência e à mais elementar justiça!

 

Para finalizar, e antes de transcrever a noticia do SOL, a minha mensagem para todos aqueles que se vão insurgir, insultar e colocar o blog em off: VÃO TRABALHAR E QUE VENHA BEM RÁPIDO A PRIVATIZAÇÃO PARA VOS CALAR DE VEZ!!! E já agora, se estão assim tão mal (coitadinhos) aceitem os acordos de rescisão amiga´vél.. e se são assim tão curajosos  DESPEÇAM-SE!!! Há muita gente que quer, que precisa e que deseja trabalhar.,.. cambada!!

 

"Há maquinistas que ganham 50 MIL EUROS

 

Os trabalhadores da CP – que hoje estão mais uma vez em greve,  nomeadamente, contra os cortes salariais –, têm vencimentos anuais muito  acima da média portuguesa. De acordo com a folha salarial da CP a que o  SOL teve acesso, um inspector-chefe de tracção recebe 52,3 mil euros,  há maquinistas com salários superiores a 40 mil euros e operadores de  revisão e venda com remunerações que ultrapassam os 30 mil euros por  ano.

No total, os trabalhadores da CP dispõem de 195 itens que contribuem para ‘engordar’ a sua remuneração variável no final do ano. O número atípico de apoios, ajudas e subsídios tem contribuído para que a empresa engrosse a factura com remunerações. Em 2009 foi de 104,5 milhões de euros anuais (segundo os últimos dados disponíveis).

«O salário dos maquinistas, por exemplo, engloba abonos de produção, subsídios fiscais, ajudas de custo e subsídio de agente único», explica fonte oficial da empresa pública. «Só por se apresentar ao trabalho, cada maquinista recebe mais de seis euros por dia, devido ao subsídio de assiduidade».

Os diversos subsídios são resultado das negociações entre as várias administrações que têm passado pela empresa e os sindicatos de trabalhadores ao longo dos anos. Ao todo, representam mais de metade – 54,3% – dos encargos totais com salários.

Apenas em subsídios de condução, a CP gasta cerca de quatro milhões de euros, aos quais se juntam 2,4 milhões de euros em prémios de condução e 3,3 milhões de euros em prémios de chefia.

«O tempo médio de escala dos maquinistas é de oito horas por dia, num total de 40 horas semanais. Mas, em média, o tempo de condução está entre as três e as quatro horas diárias», sublinha a mesma fonte.

Já as diuturnidades (subsídio por antiguidade) custam 3,3 milhões de euros à empresa e os gastos o pagamento por trabalho em dias de descanso não compensados ascendem aos 4,5 milhões de euros.

Os trabalhadores da CP estão em greve às horas extraordinárias até ao final de Abril, devido ao anúncio de 815 despedimentos no grupo e aos cortes salariais exigidos pelo Governo. A CP prevê «fortes perturbações» na circulação de comboios, durante o dia de hoje.

Também no Metropolitano de Lisboa, outra empresa detida pelo Estado, existem vencimentos de luxo. Há uma secretária administrativa que recebeu 64,6 mil euros em 2009, dos quais 5,7 mil dizem respeito a subsídios de carreira administrativa.

No total, existem 14 técnicos superiores que ganham mais do que os vogais do conselho de administração. Um destes técnicos auferiu 114 mil euros em 2009, mais 42 mil euros do que o chairman.

frederico.pinheiro@sol.pt"

 

 

 

publicado por cmpphp às 23:26

Quarta-feira, 31 de Agosto de 2011

Obrigado, sr. ministro!

por JOÃO CÉSAR DAS NEVES

Há dias um pobre pediu-me esmola. Depois, encorajado pela minha generosidade e esperançoso na minha gravata, perguntou se eu fazia o favor de entregar uma carta ao senhor ministro. Perguntei-lhe qual ministro e ele, depois de pensar um pouco, acabou por dizer que era ao ministro que o andava a ajudar. O texto é este:
"Senhor ministro, queria pedir-lhe uma grande ajuda: veja lá se deixa de me ajudar. Não me conhece, mas tenho 72 anos, fui pobre e trabalhei toda a vida. Vivia até há uns meses num lar com a minha magra reforma. Tudo ia quase bem, até o senhor me querer ajudar.
Há dois anos vierem uns inspectores ao lar. Disseram que eram de uma coisa chamada Azai. Não sei o que seja. O que sei é que destruíram a marmelada oferecida pelos vizinhos e levaram frangos e doces dados como esmola. Até os pastelinhos da senhora Francisca, de que eu gostava tanto, foram deitados fora. Falei com um deles, e ele disse-me que tudo era para nosso bem, porque aqueles produtos, que não estavam devidamente embalados, etiquetados e refrigerados, podiam criar graves problemas sanitários e alimentares. Não percebi nada e perguntei-lhe se achava bem roubar a comida dos pobres. Ele ficou calado e acabou por dizer que seguia ordens. Fiquei então a saber que a culpa era sua e decidi escrever-lhe. Nessa noite todos nós ali passámos fome, felizmente sem problemas sanitários e alimentares graves.
Ah! É verdade. Os tais fiscais exigiram obras caras na cozinha e noutros locais. O senhor director falou em fechar tudo e pôr-nos na rua, mas lá conseguiu uns dinheiritos e tudo voltou ao normal. Como os inspectores não regressaram e os vizinhos continuaram a dar-nos marmelada, frangos e até, de vez em quando, os belos pastéis da tia Francisca, esqueci-me de lhe escrever. Até há seis meses, quando destruíram tudo.
Estes não eram da Azai. Como lhe queria escrever, procurei saber tudo certinho. Disseram-me que vinham do Instituto da Segurança Social. Descobriram que estava tudo mal no lar. O gabinete da direcção tinha menos de 12 m2 e na instalação sanitária do refeitório faltava a bancada com dois lavatórios apoiados sobre poleias e sanita com apoios laterais. Os homens andaram com fitas métricas em todas as janelas e portas e abanaram a cabeça muitas vezes. Havia também um problema qualquer com o sabonete, que devia ser líquido.
Enfureceram-se por existirem quartos com três camas, várias casas de banho sem bidé e na área destinada ao duche de pavimento (ligeiramente inferior a 1,5 m x 1,5 m) não estivesse um sistema que permita tanto o posicionamento como o rebatimento de banco para banho de ajuda (uma coisa que nem sei o que seja). Em resumo, o lar era uma desgraça e tinha de fechar.
Ultimamente pensei pedir aos senhores fiscais para virem à barraca onde vivo desde então, medir as janelas e ver as instalações sanitárias (que não há!). Mas tenho medo que ma fechem, e então é que fico mesmo a dormir na rua.
Mas há esperança. Fui ontem, depois da missa, visitar o lar novo que o senhor prior aqui da freguesia está a inaugurar, e onde talvez tenha lugar. Fiquei espantado com as instalações. Não sei o que é um hotel de luxo, porque nunca vi nenhum, mas é assim que o imagino. Perguntei ao padre por que razão era tudo tão grande e tão caro. Afinal, se fosse um bocadinho mais apertado, podia ajudar mais gente. Ele respondeu que tinha apenas cumprido as exigências da lei (mais uma vez tem a ver consigo, senhor ministro). Aliás o prior confessou que não tinha conseguido fazer mesmo tudo, porque não havia dinheiro, e contava com a distracção ou benevolência dos inspectores para lhe aprovarem o lar. Se não, lá ficamos nós mais uns tempos nas barracas.
Senhor ministro, acredito que tenha excelentes intenções e faça isto por bem. Como não sabe o que é a pobreza, julga que as exigências melhoram as coisas. Mas a única coisa que estas leis e fiscalizações conseguem é criar desigualdades dentro da miséria. Porque não se preocupam com as casas dos pobres, só com as que ajudam os pobres."

 

Texto divulgado por Rita Leitão

publicado por cmpphp às 08:00

Segunda-feira, 18 de Abril de 2011

Há coisas que me irritam... IRRITAM... IRRITAM MUITO!

Porque é que os trabalhadores de uma empresa que está falida em vez de lutarem pelos seus postos de trabalho, trabalhando, fazendo sacrificios, renunciando a determinados direitos (provisória ou definitivamente a direitos que só eles têm)... se são ao luxo (SIM AO LUXO!) de arruinarem definitivamente a empresa, os outros trabalhadores e empurrar a empresa para a privatização!!

 

Mas deixemo-nos de mentiras e vamos TODOS perceber porque é que os DESGRAÇADOS (intelectualmente falando) dos maquinistas da CP fazem greve!

 

Vejamos:

 

- Inspector Chefe de Tracção (mais conhecido por coços) ganha em média por ano... atenção: 52.300,00 €!!!

- Maquinista ganha 40.000,00 € ano!!!

- Revisor (O pica!) 30.000,00 € ano!!!

 

Necessidades curriculares: 12º ano e saber ler inglês (apenas ler)!!

 

No total, os trabalhadores da CP dispõem de 195 itens que contribuem para  engordar  a sua remuneração variável no final do ano. O número atípico de apoios, ajudas e subsídios tem contribuído para que a empresa engrosse a factura com remunerações. Em 2009 foi de 104,5 milhões de euros anuais (segundo os últimos dados disponíveis). Relembro que apenas hoje o governo (todos nós) teve que injectar mais de 100 milhões, ou seja, o valor dos prémios dos sr. maquinistas e afins...

 

In Sol

«O salário dos maquinistas, por exemplo, engloba abonos de produção, subsídios fiscais, ajudas de custo e subsídio de agente único», explica fonte oficial da empresa pública. «Só por se apresentar ao trabalho, cada maquinista recebe mais de seis euros por dia, devido ao subsídio de assiduidade».

1. Abono de produção? mas eles produzem o quê? Electricidade? Cêra nos ouvidos?

2. Subsidios fiscais.... deve ser para fugir ao fisco!!

3. Ajudas de custo... custos de quê?

4. Agente único? mas um maquinista vende bilhetes?

5. Assiduidade... o cumulo dos cúmulos.. 6€ só por picar o ponto!!!

 

Meus amigos estes subsídios e ajudas representam apenas 54.3% de toda a fantástica massa salarial de um maquinista e alguém ainda me consegue explicar que um individuo com estas regalias todas faz greve?

 

Apenas em subsídios de condução, a CP gasta cerca de quatro milhões de euros, aos quais se juntam 2,4 milhões de euros em prémios de condução e 3,3 milhões de euros em prémios de chefia.

 

MAS HÁ MAIS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

Se calhar esta gentinha (ía chamar escumalha mas é melhor gentinha) trabalha muito.. muitas horas ao frio, à chuva, com grande intensidade física... vejamos...

 

«O tempo médio de escala dos maquinistas é de oito horas por dia, num total de 40 horas semanais. Mas, em média, o tempo de condução está entre as três e as quatro horas diárias», sublinha a mesma fonte.

 

3 a 4 horas diária de trabalho com 4 a 5 horas de descanso pago ao mesmo valor da hor de trabalho!!! continuar a perguntar, alguém sabe-me dizer porque é que este gentinha faz greve?

 

Será que ainda há mais...

 

Já as diuturnidades (subsídio por antiguidade) custam 3,3 milhões de euros à empresa e os gastos o pagamento por trabalho em dias de descanso não compensados ascendem aos 4,5 milhões de euros.

 

Começo a ficar irritado... Filhos da....

 

A profissão é monótona? Sim. A profissão é desgastante? e a dos outros... A profissão é uma maravilha!! SEM DUVIDA!!!

 

Tenho uma solução para o próximo governo seja ele qual for... privatizem a CP!!!! Nem que seja de graça!!!! Livram-se de um monstro dos contribuintes portugueses e acreditem.. estes monstros chamados maquinistas vão perceber que a vida dos portugueses está difícil.. que a vida deles vai ficar difícil pois actualmente vivem numa bolha de oxigénio que não merecem, não fizeram nada para a merecer e, pior que isso, estão a fazer tudo para a destruir..

 

PRIVATIZEM A CP JÁ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

 

 

sinto-me:
tags:
publicado por cmpphp às 22:54

Quinta-feira, 07 de Abril de 2011
Existe uma geração à rasca?

Existe mais do que uma! Certamente!

Está à rasca a geração dos pais que educaram os seus meninos numa abastança caprichosa, protegendo-os de dificuldades e escondendo-lhes as agruras da vida.

Está à rasca a geração dos filhos que nunca foram ensinados a lidar com frustrações.

A ironia de tudo isto é que os jovens que agora se dizem (e também estão) à rasca são os que mais tiveram tudo.

Nunca nenhuma geração foi, como esta, tão privilegiada na sua infância e na sua adolescência. E nunca a sociedade exigiu tão pouco aos seus jovens como lhes tem sido exigido nos últimos anos.

Deslumbradas com a melhoria significativa das condições de vida, a minha geração e as seguintes (actualmente entre os 30 e os 50 anos) vingaram-se das dificuldades em que foram criadas, no antes ou no pós 1974, e quiseram dar aos seus filhos o melhor.

Ansiosos por sublimar as suas próprias frustrações, os pais investiram nos seus descendentes: proporcionaram-lhes os estudos que fazem deles
a geração mais qualificada de sempre (já lá vamos...), mas também lhes deram uma vida desafogada, mimos, entradas nos locais de diversão, cartas de condução e 1º automóvel, depósitos de combustível , dinheiro no bolso . Mesmo quando as expectativas de primeiro emprego saíram goradas, a família continuou presente, a garantir aos filhos cama, mesa e roupa lavada.

Durante anos, acreditaram estes pais e estas mães estar a fazer o melhor; o dinheiro ia chegando para comprar (quase) tudo, quantas vezes em substituição de princípios e de uma educação para a qual não havia tempo, já que ele era todo para o trabalho, garante do ordenado com que se compra (quase) tudo. E éramos (quase) todos felizes.

Depois, veio a crise, o aumento do custo de vida, o desemprego, ... A vaquinha emagreceu,  secou.

Foi então que os pais ficaram à rasca.

Os pais à rasca não vão a um concerto, mas os seus rebentos enchem Pavilhões Atlânticos e festivais de música, bares e discotecas onde não se entra à borla nem se consome fiado.

Os pais à rasca deixaram de ir ao restaurante, para poderem continuar a pagar restaurante aos filhos, num país onde uma festa de aniversário de adolescente que se preza é no restaurante e vedada a pais.

São os pais que contam os cêntimos para pagar, à rasca, as contas da água e da luz e do resto, e que abdicam dos seus pequenos prazeres para que os filhos não prescindam da internet de banda larga a alta velocidade, nem dos qualquer_coisa_phones ou i_pads, sempre de última geração.

São estes pais mesmo à rasca, que já não aguentam, que começam a ter de dizer "não". É um "não" que nunca ensinaram os filhos a ouvir, e que por isso eles não suportam, nem compreendem, porque eles têm direitos, porque eles têm necessidades, porque eles têm expectativas, porque lhes disseram que eles são muito bons e eles querem, e querem, querem o que já ninguém lhes pode dar!

A sociedade colhe assim hoje os frutos do que semeou durante pelo menos duas décadas.

Eis agora uma geração de pais impotentes e frustrados.

Eis agora uma geração jovem altamente qualificada, que andou muito por escolas e universidades mas que estudou pouco e que aprendeu e sabe na proporção do que estudou. Uma geração que colecciona diplomas com que o país lhes alimenta o ego , mas que são uma ilusão, pois correspondem a pouco conhecimento e a duvidosa capacidade operacional.
Eis uma geração que vai a toda a parte, mas que não sabe estar em sítio nenhum. Uma geração que tem acesso a informação sem que isso signifique que é informada; uma geração dotada de trôpegas competências de leitura e interpretação da realidade em que se insere.

Eis uma geração habituada a comunicar por abreviaturas e frustrada por não poder abreviar do mesmo modo o caminho para o sucesso. Uma geração que deseja saltar as etapas da ascensão social à mesma velocidade que queimou etapas de crescimento. Uma geração que distingue mal a diferença entre  emprego e trabalho, ambicionando mais aquele do que este, num tempo em que nem um nem outro abundam.

Eis uma geração que, de repente, se apercebeu que não manda no mundo como mandou nos pais e que agora quer ditar regras à sociedade como as foi ditando à escola, alarvemente e sem maneiras.

Eis uma geração tão habituada ao muito e ao supérfluo que o pouco não lhe chega e o acessório se lhe tornou indispensável.

Eis uma geração consumista, insaciável e completamente desorientada.

Eis uma geração preparadinha para ser arrastada, para servir de montada a quem é exímio na arte de cavalgar demagogicamente sobre o desespero alheio.

Há talento e cultura, capacidade e competência, solidariedade e inteligência nesta geração?

Claro que há. Conheço uns bons e valentes punhados de exemplos!

Os jovens que detêm estas capacidades-características não encaixam no retrato colectivo, pouco se identificam com os seus contemporâneos, e nem são esses que se queixam assim (embora estejam à rasca, como todos nós).

Chego a ter a impressão de que, se alguns jovens mais inflamados pudessem, atirariam ao tapete os seus contemporâneos que trabalham bem, os que são empreendedores, os que conseguem bons resultados académicos, porque, que inveja!, que chatice!, são betinhos, cromos que só estorvam os outros (como se viu no último Prós e Contras) e, oh, injustiça!, já estão a ser capazes de abarbatar bons ordenados e a subir na vida.

E nós, os mais velhos, estaremos em vias de ser caçados à entrada dos nossos locais de trabalho, para deixarmos livres os invejados lugares a que alguns acham ter direito e que pelos vistos - e a acreditar no que ultimamente ouvimos de algumas almas - ocupamos injusta, imerecida
e indevidamente?!!!

Novos e velhos, todos estamos à rasca.

Apesar do tom desta minha prosa, o que eu tenho mesmo é pena destes jovens.

Tudo o que atrás escrevi serve apenas para demonstrar a minha firme convicção de que a culpa não é deles.

A culpa de tudo isto é nossa, que não soubemos formar, nem educar, nem fazer melhor, mas é uma culpa que morre solteira, porque é de todos, e a sociedade não consegue, não quer, não pode assumi-la.

Curiosamente, não é desta culpa maior que os jovens agora nos acusam.

Haverá mais triste prova do nosso falhanço?

Pode ser que tudo isto não passe de alarmismo, de um exagero meu, de uma generalização injusta.

Pode ser que nada/ninguém seja assim.
 
sinto-me:
publicado por cmpphp às 14:00

Quinta-feira, 31 de Março de 2011

Este texto não é original meu.. recebi por e-mail e resolvi partilhar.

 

 

Estava há dias a falar com um amigo meu nova-iorquino que conhece bem Portugal.

 

Dizia-lhe eu à boa maneira do "coitadinho" português:

Sabes, nós os portugueses, somos pobres ...

Esta foi a sua resposta:

"Como podes tu dizer que sois pobres, quando sois capazes de pagar por um litro de gasolina, mais do triplo do que pago eu?

Quando vos dais ao luxo de pagar tarifas de electricidade e de telemóvel 80 % mais caras do que nos custam a nós nos EUA?

Como podes tu dizer que sois pobres quando pagais comissões bancárias por serviços e por cartas de crédito ao triplo que nós pagamos nos EUA?

Ou quando podem pagar por um carro que a mim me custa 12.000 US Dólares (8.320 EUROS) e vocês pagam mais de 20.000 EUROS, pelo mesmo carro? Podem dar mais de 11.640 EUROS de presente ao vosso governo do que nós ao nosso.

Nós é que somos pobres!!!!!!!

Por exemplo em New York o Governo Estatal, tendo em conta a precária situação financeira dos seus habitantes cobra somente 2 % de IVA, mais 4% que é o imposto Federal, isto é 6%, nada comparado com os 23% dos ricos que vivem em Portugal. E contentes com estes 23%, pagais ainda impostos municipais.

Um Banco privado vai à falência e vocês que não têm nada com isso pagam, outro, uma espécie de casino, o vosso Banco Privado quebra, e vocês protegem-no com o dinheiro que enviam para o Estado.*

*E vocês pagam ao vosso Governador do Banco de Portugal, um vencimento anual que é quase 3 vezes mais que o do Governador do Banco Federal dos EUA...

Um país que é capaz de cobrar o Imposto sobre Ganhos por adiantado e Bens pessoais mediante retenções, necessariamente tem de nadar na abundância, porque considera que os negócios da Nação e de todos os seus habitantes sempre terão ganhos apesar dos assaltos, do saque fiscal, da corrupção dos seus governantes e dos seus autarcas. Um país capaz de pagar salários irreais aos seus funcionários de estado e da iniciativa privada.

Os pobres somos nós, os que vivemos nos USA e que não pagamos impostos sobre o ordenados e ganhamos menos de 3.000 dólares ao mês por pessoa, isto é mais ou os vossos 2.080 €uros. Vocês podem pagar impostos do lixo, sobre o consumo da água, do gás e da electricidade. Aí pagam segurança privada nos Bancos, urbanizações, municipais, enquanto nós como somos pobres nos conformamos com a segurança pública.

 

Vocês enviam os filhos para colégios privados, financiados pelo estado (nós) enquanto nós aqui nos EUA as escolas públicas emprestam os livros aos nossos filhos prevendo que não os podemos comprar.

Vocês não são pobres, gastam é muito mal o vosso dinheiro.

Vocês, portugueses, não são pobres, são é muito estúpidos........."

 

 

POR MIM, NÃO DEIXAREI DE AVIVAR A MEMÓRIA DOS ESQUECIDOS !...

     
Um  dos Motivos porque o Governo se tornou fiador de 20 mil  milhões de euros de transacções intra bancárias......??? 
Os de hoje, vão estar como gestores de Banca amanhã, pois os de ontem, já estão por lá hoje.
Correcto???? Se  pensa que não, vejamos:


Fernando Nogueira:

Antes -Ministro da  Presidência, Justiça e Defesa
Agora - Presidente do  BCP Angola


José de Oliveira e Costa: (O TAL QUE ESTEVE NA GAIOLA)

Antes  -Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais
Agora  -Presidente do Banco Português de Negócios  (BPN)


Rui  Machete:  (AGORA NINGUÉM O OUVE)

Antes - Ministro dos Assuntos  Sociais
Agora - Presidente do Conselho Superior do  BPN; (o banco falido, é só gamanço)

Presidente do Conselho Executivo da  FLAD 


Armando Vara: (AQUELE A QUEM O SUCATEIRO DAVA CAIXAS DE ROBALOS)

Antes - Ministro adjunto do   Primeiro Ministro
Agora - Vice-Presidente do  BCP
  (demissionário a seu pedido, antes que levasse um chuto no cú)


Paulo Teixeira Pinto:  (o tal que antes de trabalhar já estava reformado)

Antes - Secretário  de Estado da Presidência do Conselho de  Ministros
Agora - Presidente do BCP (Ex. - Depois de  3 anos de 'trabalho',

Saiu com 10 milhões de  indemnização !!! e mais 35.000EUR x 15 meses por ano até  morrer...)

António Vitorino: 

Antes -Ministro  da Presidência e da Defesa
Agora -Vice-Presidente da  PT Internacional;

Presidente da Assembleia Geral do  Santander Totta - (e ainda umas 'patacas' como  comentador RTP) 

Celeste Cardona: (a tal que só aceitava o lugar na Biblioteca do Porto se tivesse carro e motorista às ordens - mas o vencimento era muito curto) 

Antes -  Ministra da Justiça
Agora - Vogal do CA da  CGD
  (QUE MARAVILHA - ORDENADO PRINCIPESCO - O ZÉ PAGA)

José Silveira Godinho: 

Antes - Secretário  de Estado das Finanças
Agora - Administrador do  BES
(VIVA O LUXO)

João de Deus Pinheiro: (aquele que agora nem se vê)

Antes - Ministro da  Educação e Negócios Estrangeiros
Agora - Vogal do CA  do Banco Privado Português (O TAL QUE DEU O BERRO).
 

Elias da  Costa: 

Antes - Secretário de Estado da Construção e  Habitação -
Agora - Vogal do CA do  BES (POIS CLARO, AGORA É BANQUEIRO


Ferreira do Amaral: (O ESPERTALHÃO, QUE PREPAROU O TERRENO)

Antes - Ministro das  Obras Públicas (que entregou todas as pontes a jusante  de Vila Franca de Xira à Lusoponte)

Agora -  Presidente da Lusoponte, com quem se tem de renegociar o  contrato (POIS CLARO, À TRIPA FORRA).
 

etc etc etc... 


O que é isto  ?
 
Cunha ?
 
Gamanço ?
 

É Portugal no seu esplendor  .

...e depois até querem que se  declarem as prendas de casamento e o seu valor. 

Já é tempo de parar esta canalha nojenta ! 
Não te  cales, A DENUNCIAÉ O PRINCIPIO DE "ALGO" QUE TERÁ DE ACONTECER! 

Passa este e-mail,  fá-lo circular  por Portugal.


..feita a minha parte. Por mim estes sangue-sugas, vampiros e abutres já os tinha posto a trabalhar a carregarem,

os acidentados rodoviarios nos Hospitais a caminho da morgue, que tal? 

 

sinto-me:
publicado por cmpphp às 13:02

É verdade!

A Gillette Portugal premiou o blog com um convite para a apresentação oficial da nova linha Gillette em Lisboa e enviou uma BOX da nova linha Gillette!

A gama é muito boa e a lâmina corta a barba com uma suavidade fantástica!

 

Vale apena ter opinião própria!!

 

Obrigado Gillette!!

 

 

 

sinto-me:
tags:
publicado por cmpphp às 13:00

Quinta-feira, 17 de Março de 2011

Todos nós temos uma opinião sobre o estado da politica portuguesa... e solução?!!!

 

A coisa que mais me irrita quando vejo o comentário dos políticos portugueses é que eles apenas criticam.. está mal... o governo está a governar mal.. está tudo muito mal.. e então quando é que apresentam uma verdadeira solução.. uma verdadeira politica sustentável e alternativa!!

 

Se o PS nos vende ilusões e desilusões os outros o que nos vendem... O PSD anda a marcar passo... o PP até vai apresentando propostas mais ou menos aceitaveis para situações pontuais, o PCP "somos contra o capitalismo.. camaradas" vivem numa otopia que até chega a irritar.. o BE manda fuguetes.. faz a festa (é contra todos) e apanha as canas (às vezes também apanha com as suas próprias canas!!) mas uma estratégia estrutural para Portugal... nada... nenhum... caramba o que é que estes politicos querem para Portugal? É esta a pergunta que todos os portugueses querem ver respondida por todos os partidos!! O QUE É QUE QUEREM PARA PORTUGAL!!!!!

 

Por tudo isto resolvi ser audaz e aqui vai um pequeno contributo....

 

A proposta é simples e alicerçada em dois pilares fundamentais que reforçam a estratégia 2020 e impulsionam a recuperação económica e a coesão social.. com impactos claros na UE e que até vai provocar a hola nos "mercados".

 

Pilar 1: Afastar os políticos da politica nos próximos 5 anos

Pilar 2: Entregar a governação de Portugal a quem sabe gerir... e proponho já o governo:

 

Presidente da república: Américo Amorim

1º Ministro: Belmiro de Azevedo

Presidência do Conselho de Ministros Eliminado

Ministério dos Negócios Estrangeiros  António Melo Pires (Autoeuropa)

Ministério das Finanças e da Administração Pública Ricardo Salgado (BES)

Ministério da Defesa Nacional Jorge Couto (Presidente da Securitas Portugal)

Ministério da Administração Interna  Junto com o ministério anterior

Ministério da Justiça  António Marinho Pinto (Bastonário Ordem dos Advogados)

Ministério do Ambiente, do Ordenamento do Território e do Desenvolvimento   Regional António Mexia (EDP)

Ministério da Economia e da Inovação Rui Martinho (Bastonário da Ordem dos Economistas)

Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas   Francisco Ganhão (Brand Manager da xxl Refill)

Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações Zeinal Bava (Presidente PT)

Ministério do Trabalho e da Solidariedade Social Carlos Brazão (General manager da Cisco Melhor empresa para trabalhar 2010)

Ministério da Saúde José Manuel Silva (Bastonário dos Médicos)

Ministério da Educação José Pinhal (Presidente da Escola Secundária Clara de Resende

Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Luis Portela (Presidente da BIAL)

Ministério da Cultura  Vitor Nogueira (Director do Teatro de Vila Real)

 

Eu votava nesta lista/partida… uma solução para Portugal!

 

 

sinto-me:
música: Hino de Portugal
publicado por cmpphp às 13:00

Quarta-feira, 02 de Março de 2011

Hoje de manhã deu-me para tomar o pequeno almoço na bela baixa invicta... na afamada Bella Roma!

 

Para quem me conhece, já sabe que trabalhei na baixa durante algum tempo e adorava o fervelhim matinal... e quando digo matinal refiro-me ao super movimento das 7 da manhã!

 

Autocarros e comboios tipo lata de atum, a transbordarem de gente trabalhadora que paravam por breves instantes numa pastelaria, no meu caso Bella Roma, para aconchegarem o estômago de mais uma madrugadela... mas era um ambiente cheio de energia positiva, cheio de adrenalina..

 

As pastelarias a partir das 6 ou 6.30 tinham as suas vitrinas completamente cheias.. o cheiro era delicioso.. e até um anti (sim, porque há sempre um anti qualquer coisa!), como dizia, até um anti "bolos" ficava com as crenças trocadas com tão bela imagem e tão saboroso cheiro!

 

 

 

Mas esta manhã, passava um pouco das 7, a bela baixa portuense estava vazia... nem arrumadores havia... o barulho das gaivotas intercalava-se com o dos autocarros.. mas aquela febre matinal cheia de energia positiva.... nem vê-la....

 

Espantado, lá fui até à Bella Roma... a desilusão tomou conta de mim... aquela fantástica pastelaria, há uns anos atrás às 7 da manhã estava cheia de gente.. mesas cheias, balcão cheio e pessoal a comer de pé... e aquele super empregado de mesa (Sr. Domingos) voava, eu sempre achei que aquele senhor voava e que tinha um chip na cabeça que lhe permitia decorar os 30 pedidos que lhe faziam ao mesmo tempo até hoje, que o vi parado e percebi que afinal andava como eu e que aquela alegria daquele homem estava simplesmente triste.... mas voltando à pastelaria... lembro-me daqueles 10 metros de vitrine cheios de bolos e delicias... hoje não tinha praticamente nada para além de um vazio imenso.... fiquei parado.. triste por uma realidade desoladora...

 

Será que a crise explica tudo... neste caso até pode explicar uma boa parte... mas recordo-me das baixas de algumas cidades europeias que também passam por uma enorme crise mas, apesar de certamente terem tido quebras, continuam a ser fervilhantes...

 

Que se passa nos centros históricos das cidades portuguesas? que raio têm as pessoas na cabeça que trocam um belo passeio pela baixa da invicta por uma tarde enfiadas no norteshopping.... trocar um passeio do Chiado à Praça de Comércio por um dia passado no Colombo... um belo passeio na baixa coimbrã por um passeio no Fórum... tenho saudades da minha baixa cheia de gente e de movimento!

 

publicado por cmpphp às 09:00

Quinta-feira, 10 de Fevereiro de 2011

Nos últimos dias tenho lido, ouvido ou visto cada noticia que até me faz arrepiar... e faz-me pensar:

"Mas que porra de sociedade é esta em que vivemos?", senão vejamos?

 

- Uma idosa esteve 9 anos morta no chão de casa....

Mas que raio de sociedade é esta em que uma pessoa morre e só 9 anos depois é que dão com ela.. em casa da própria!! Vivemos numa sociedade em que não conhecemos ninguém, não nos importamos com ninguém.. nem com os mais próximos.. ou será que isso de mais próximos já não existe?

 

- Uma mulher nos EUA tenta enviar um cão de 4 meses pelos correios

Mas onde tem esta gente a cabeça.... quando vão de férias em vez de comprar um bilhete de avião porque não se metem numa caixa e vão pelos CTT?

 

- Em Portugal um homem (advogado) esteve 4 anos sem poder ver a filha de apenas 6 anos por causa de um divórcio.. no dia em que foi autorizado a ver a filha o sogro matou-o em frente à filha...

1. Que raio de justiça é esta que proíbe um pai (normal) de ver uma filha durante 4 anos?

2. Que raio de mania é esta de que quando as pessoas se divorciam usarem os filhos como arma?

3. Que é que aquele homem que matou o outro tem na cabeça (com um jeitinho vai ser decretado insanidade temporária)!

 

- Perfume da Lady Gaga com aroma (e se calhar sabor?!) a esperma (sim esperma) e sangue!

Mas será que a sociedade em que vivemos pode aceitar que uma louca (não temporária) possa vestir carne, perfumar-se com esperma e tomar banho em sangue...

 

E muito mais havia para dizer... mas deixo esta pergunta.. em que raio de sociedade vivemos? Em que sociedade viveremos quando tivermos a idade daquela senhora que teve 9 anos morta em casa (92 anos)?

publicado por cmpphp às 13:00

ofertas de emprego

O quê?
profissão, palavra-chave, etc.

Onde?
cidade, concelho ou distrito


Ofertas de emprego
powered by Jobrapido
pesquisar
 
Últ. comentários
Parabéns por este texto. Julgo que é da sua autori...
Não pertenço a CP nem trabalho para o estado mas e...
Excelente Carlos.....seja quem for que fique no go...
Concordo plenamente Carlos, mas no caso do pai imp...
Olá CarlosConcordo perfeitamente contigo. Sabias q...
também fiquei na dúvida, na altura.M...
LOL, é mesmo assim. Quanto à Ryanair, vão-se prepa...
Razão, razão e mais razão... tens toda a razão...
Sabes Carlos acho que se resume á fase "encantamen...
Andas trisitinho é? :) Tá fixe o teu blog! Tens r...
arquivos
mais sobre mim