Este é simplesmente o meu espaço... onde irei publicar pequenas reflexões sobre diversos temas.. e como é lógico são bem vindas todas as participações...

Quinta-feira, 24 de Novembro de 2011

Vou partilhar a minha experiência matinal num dia de greve geral...

 

Levantei-me às 05.50 para apanhar o comboio das 06.25 Porto - Braga que foi decretado pelo tribunal arbitral como serviço mínimo. Cheguei à estação de S. Bento às 06.18 e qual o meu espanto que estava 5 carros da policia junto da estação e pensei "confusão".. mas não.. à porta da estação estava apenas um piquete de greve com cerca de 10 indivíduos com coletes vermelhos, que garantiam que a estação estivesse completamente fechada impedindo quem quer fosse de entrar... mas onde está a polícia?

 

A incrível e inesperada resposta: a polícia (mais de 20) estavam dentro da estação (que estava fechada ao público)!!

 

Cá fora ia crescendo o numero de utentes que se tinham deslocado, como eu, para a estação de S. Bento de madrugado para poderem ir trabalhar e poderem deslocar de comboio nos horários decretados como serviços mínimos... As pessoas iam chegando e a contestação contra as pessoas que impediam as outras de trabalharem ia crescendo.. De repente um dos grevistas veio tentar explicar porque razão impediam que estação estivesse fechada e porque razão eles achavam que tinham o direito de impedir os outros de gozar do direito ou da obrigação de ir trabalhar... e entre outras frases dizia "porque acho que os serviços mínimos são injusto"... e eu perguntei-lhe: "!diga-me, e se agora, alguém mais exaltado lhe atirasse com um pedra e acertasse na sua cabeça, você fosse para o hospital (a pé porque não há transportes e as ambulâncias também não têm serviços mínimos porque é injusto) chegasse ao hospital (de S. António que até é perto) 30 minutos depois e não tivesse ninguém para o socorrer porque também é injusto haver serviços mínimos e você acabasse por morrer de falta de cuidados médicos, achava justo não haver serviços mínimos? O individuo do sindicato revirou-se os olhos e partiu para a violência física e verbal directa comigo.. mas teve azar... as outras pessoas acabaram por reagir e acabou tudo com o pessoal do sindicato a recuar e a dizer "venham 25 como você que eu aguento".. mas de longe!!! E sabem onde estava a polícia? dentro da estação sem reagir..

 

Fui obrigado a ligar para o 112 a fazer queixa de que tinha sido agredido (ou quase) por um piquete de greve à porta da estação de S. Bento e que a polícia se encontrava a menos de 20cm mas por trás da porta da estação e que nada tinha feito.. minutos depois saíram (os polícias) de dentro da estação e ligaram-me da PSP a dizer que os colegas já se encontravam no exterior... Acabei por me deslocar junto deles e explicar a minha indignação.. mas não adiantou nada.. acabei por vir para Braga de carro... Isto é simplesmente inaceitável que meia dúzia de funcionários dos sindicatos, que neste dia até ganham horas extraordinárias, impeçam que uma ordem do tribunal seja respeitada e que a polícia nada faça para repor a ordem?

 

Em que raio de sociedade vivemos? Se uns tem e querem que seja respeitado o direito à greves, essas mesmas pessoas têm de aceitar que outros tenham e queiram que seja respeitado o direito à não greve...

publicado por cmpphp às 08:45

Terça-feira, 08 de Novembro de 2011

Há algum tempo escrevi aqui um exto sobre as greves na CP... recebi muitos mails de apoio e muitos outros insultuosos.. recebi mails com ameças e ataques ao blog que o colocaram off-line!!

 

Mas a minha opinião é a mesma!! Estou farto de aturar grevistas oportunistas que ganham muito e muito bem, que fazem pouco e muito pouco pelos clientes e pela CP e que se aproveitam para chatagear os portugueses que precisam da CP para se deslocar, para subreviver e viver, com greves mesquinhas vinda de pessoas mesquinhas e oportunistas!!

 

O semanário "SOL" publica uma reportagem sobre esta gente oportunista com os seus "direitos" e "regalias" que não são mais do que um atentado ao pudor, à inteligência e à mais elementar justiça!

 

Para finalizar, e antes de transcrever a noticia do SOL, a minha mensagem para todos aqueles que se vão insurgir, insultar e colocar o blog em off: VÃO TRABALHAR E QUE VENHA BEM RÁPIDO A PRIVATIZAÇÃO PARA VOS CALAR DE VEZ!!! E já agora, se estão assim tão mal (coitadinhos) aceitem os acordos de rescisão amiga´vél.. e se são assim tão curajosos  DESPEÇAM-SE!!! Há muita gente que quer, que precisa e que deseja trabalhar.,.. cambada!!

 

"Há maquinistas que ganham 50 MIL EUROS

 

Os trabalhadores da CP – que hoje estão mais uma vez em greve,  nomeadamente, contra os cortes salariais –, têm vencimentos anuais muito  acima da média portuguesa. De acordo com a folha salarial da CP a que o  SOL teve acesso, um inspector-chefe de tracção recebe 52,3 mil euros,  há maquinistas com salários superiores a 40 mil euros e operadores de  revisão e venda com remunerações que ultrapassam os 30 mil euros por  ano.

No total, os trabalhadores da CP dispõem de 195 itens que contribuem para ‘engordar’ a sua remuneração variável no final do ano. O número atípico de apoios, ajudas e subsídios tem contribuído para que a empresa engrosse a factura com remunerações. Em 2009 foi de 104,5 milhões de euros anuais (segundo os últimos dados disponíveis).

«O salário dos maquinistas, por exemplo, engloba abonos de produção, subsídios fiscais, ajudas de custo e subsídio de agente único», explica fonte oficial da empresa pública. «Só por se apresentar ao trabalho, cada maquinista recebe mais de seis euros por dia, devido ao subsídio de assiduidade».

Os diversos subsídios são resultado das negociações entre as várias administrações que têm passado pela empresa e os sindicatos de trabalhadores ao longo dos anos. Ao todo, representam mais de metade – 54,3% – dos encargos totais com salários.

Apenas em subsídios de condução, a CP gasta cerca de quatro milhões de euros, aos quais se juntam 2,4 milhões de euros em prémios de condução e 3,3 milhões de euros em prémios de chefia.

«O tempo médio de escala dos maquinistas é de oito horas por dia, num total de 40 horas semanais. Mas, em média, o tempo de condução está entre as três e as quatro horas diárias», sublinha a mesma fonte.

Já as diuturnidades (subsídio por antiguidade) custam 3,3 milhões de euros à empresa e os gastos o pagamento por trabalho em dias de descanso não compensados ascendem aos 4,5 milhões de euros.

Os trabalhadores da CP estão em greve às horas extraordinárias até ao final de Abril, devido ao anúncio de 815 despedimentos no grupo e aos cortes salariais exigidos pelo Governo. A CP prevê «fortes perturbações» na circulação de comboios, durante o dia de hoje.

Também no Metropolitano de Lisboa, outra empresa detida pelo Estado, existem vencimentos de luxo. Há uma secretária administrativa que recebeu 64,6 mil euros em 2009, dos quais 5,7 mil dizem respeito a subsídios de carreira administrativa.

No total, existem 14 técnicos superiores que ganham mais do que os vogais do conselho de administração. Um destes técnicos auferiu 114 mil euros em 2009, mais 42 mil euros do que o chairman.

frederico.pinheiro@sol.pt"

 

 

 

publicado por cmpphp às 23:26

ofertas de emprego

O quê?
profissão, palavra-chave, etc.

Onde?
cidade, concelho ou distrito


Ofertas de emprego
powered by Jobrapido
pesquisar
 
Últ. comentários
Parabéns por este texto. Julgo que é da sua autori...
Não pertenço a CP nem trabalho para o estado mas e...
Excelente Carlos.....seja quem for que fique no go...
Concordo plenamente Carlos, mas no caso do pai imp...
Olá CarlosConcordo perfeitamente contigo. Sabias q...
também fiquei na dúvida, na altura.M...
LOL, é mesmo assim. Quanto à Ryanair, vão-se prepa...
Razão, razão e mais razão... tens toda a razão...
Sabes Carlos acho que se resume á fase "encantamen...
Andas trisitinho é? :) Tá fixe o teu blog! Tens r...
arquivos
mais sobre mim